Pages

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Na Era Amovelar II... povo vai à casa do Prefeito e cobra pelos 15 mil empregos prometidos na campanha








Por Idalgo Lacerda - O termo aqui empregado não é o de vigário. Aquele que é pároco que serve a uma paróquia. Mas referindo-se a um vigarista. O mesmo malandro, falsário e que quando é flagrado pela autoridade é enquadrado no Artigo de nª 171, de acordo com o Código Penal Brasileiro.

Vale recordar que em 2004 foram prometidos cerca de 11 mil empregos! Lembram? E que nunca apareceram tais empregos e, nem tampouco, as indústrias que seriam instaladas em Coroatá. Passados doze anos, agora prometeram 15 mil empregos aos seus eleitores. Implica dizer que, 1/4 da população estaria empregada, caso o filho do pai-prefeito fosse eleito! E foi eleito! Logo dava para saber e sentir que isso era mais um golpe aplicado para cima do povo e o povo terminou engolindo sem precisar tomar  nenhum 'sonrisal' para facilitar a má digestão que agora transforma-se em dores de cabeça, através de intensas náuseas e vômitos e diarreias!!!

Pelo visto, apenas os medalhões estão com os seus empregos assegurados e bem remunerados, como por exemplo, a empoderada empresária e mulher do apresentador de televisão e vereador, Marcílio Gonçalves (PCdoB). Que não precisa de emprego algum, e exigiu logo de cara ser 'personal trainer e fitness' com salário beirando a casa dos R$ 5 mil reais e, prontamente fora atendida pelo pai-prefeito. Ela irá comandar a Academia Pública de Saúde. Pode???

Enquanto isso, o povão que votou enganado esperneia por uma boquinha como empregado no quadro funcional da Prefeitura de Coroatá! E, portanto, essa história de emprego por voto é igual a história da caça do veado que depois de abatido virou-se para o caçador e disse-lhe: se matou tem que comer!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CAMPANHA DO BLOG

© Copyright 2008 - Idalgo Lacerda.